Resenha: Férias

8/10/2014 , 7 Comments

Sinopse: Rachel Walsh tem 27 anos e a grande mágoa de calçar 40. Ela namora Luke Costello, um homem que usa calças de couro justas. E é amiga - pode-se mesmo dizer muy amiga - de drogas. Até que a sua vida vai para o Claustro - a versão irlandesa da Clínica Betty Ford. Ela fica uma fera. Afinal, não é magra o bastante para ser uma toxicômana, certo? Mas, olhando para o lado positivo das coisas, esses centros de reabilitação são cheios de banheiras de hidromassagem, academia e artistas semifissurados (ao menos ela assim ouviu dizer). De mais a mais, bem que já está mesmo na hora de tirar umas feriazinhas. Rachel encontra mais homens de meia-idade usando suéteres marrons e sessões de terapia em grupo do que poderia supor a sua vã filosofia. E o pior é que parecem esperar que ela entre no esquema! Mas quem quer abrir as janelas da alma, quando a vista está longe de ser espetacular? Cheia de dor-de-cotovelo (o nome do cotovelo é Luke), ela busca salvação em Chris, um Homem com um Passado. Um homem que pode dar mais trabalho do que vale... Rachel é levada da dependência química para o terreno desconhecido da maturidade, passando por uma ou duas histórias de amor, neste romance que é, a um tempo, comovente, forte e muito, muito engraçado.

O livro conta a estória de Rachel Walsh, jovem que vive atualmente em Nova York com a amiga Brigit, e acredita fielmente só usar drogas para fins recreativos. Quando não consegue dormir e decide tomar um vidro inteiro de tranquilizantes acaba entrando em um tipo de coma e é levada para o hospital e sujeita a lavagem estomacal. Seus pais, que moram na Irlanda, se preocupam e a internam em um centro de reabilitação chamado Claustro, qual Rachel acreditava ser um lugar onde os famosos iam para se livrar de seus vicios. Lá não encontra nada do que imaginava, nenhuma sauna, hidromassagem, famosos ou qualquer coisa do tipo, mas acaba se encantando por um homem chamado Cris que está na sua segunda passagem pelo Claustro. Rachel descobre sua dependencia mas não sabe se será capaz de lidar com tudo isso.
 Bom, sim, considerei uma leitura obrigatória o que me fez achar o livro mais chato do que realmente é, achei a estória meio fraca pra falar a verdade e me lembra alguma fanfics que lia a algum tempo onde os jovens se intupiam de bebidas e nunca se fodiam mesmo e etc. Rachel é sim uma pessoa com problemas, psicológicos, que não foram tratados da maneira certa então ela recorreu ao uso de drogas envolvendo medicamentos vendidos sob receita e essas coisas, mas foi um negocio bem chato ler e dai ela lembrava de umas coisas durante o correr da estória e eu ficava tipo "não".

Eu chegava em algumas partes e tinha uma vontade enorme de parar a leitura, mas me segurava e continuava a ler mais algumas páginas e quando vi já tinha acabado, não foi uma leitura cansativa pra falar a verdade, o tema só não me agradou, não é o tipo de livro que eu veria na livraria e falaria "olha, que interessante, vou comprar.", não, nem perto. Mas se te agrada esses temas acho que iria gostar.

XOXO,
Nathaniel.

nie

Some say he’s half man half fish, others say he’s more of a seventy/thirty split. Either way he’s a fishy bastard.

7 comentários:

  1. O livro parece muito bom >3<

    www.sendohipster.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. oieeee,
    Sou Alice, dona do blog My Running Thoughts. Estou te convidando para conhecer meu blog e uma banda nova que vc vai amar <3 Conto com sua ajuda! Ja te segui!! Se quiser seguir de volta... e assinar o canal deles no youtube...
    http://my-runningthoughts.blogspot.com.br/2014/08/a-melhor-banda.html
    Beijooooos

    ResponderExcluir
  3. Não vou dizer que quero ler muito esse livro depois de uma resenha dessa, haha. Mas tenho bastante interesse em ler os livros da escritora. Bjs :*

    http://acucar-ou-adocante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu não consigo ler os livros desta autora. Já tentei vários, mas não me agradam.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Não gosto do gênero desse livro e muito menos da autora; definitivamente não leria.
    Imagino que você tenha sofrido pra terminar a obra. haha

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto

    ResponderExcluir
  6. Esse livro me surpreendeu completamente, achava que iria odiar e acabei amando. HAHA Vai entender né?
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Bom acho que a história não iria me agradar não, do jeito que você disse realmente parece uma fanfic shuash. Enfim ótima resenha!!!
    Beijos u,u!
    blogandoseuassunto.blogspot.com

    ResponderExcluir